Experiências que alimentam

Experiências que alimentam

Centro de Recuperação e Educação Nutricional, que atua desde 1993 na educação alimentar e nutricional infantil.


PARCEIRO

Image

O DESAFIO

Hábitos alimentares adquiridos na primeiríssima infância (zero a quarenta e oito meses de idade) têm enorme impacto no desenvolvimento físico e cognitivo das pessoas, por isso esse período da vida é tão importante. Temos no Brasil hoje uma epidemia de sobrepeso e obesidade, e um crescente de crianças mal alimentadas ingerindo uma quantidade grande de alimentos ultraprocessados e sem valor nutricional nenhum. Esses hábitos, somados a outros fatores de risco ao longo da vida, podem causar um sem-fim de doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, hipertensão e outras complicações de saúde. Por ser uma questão de múltiplas dimensões, a educação alimentar e nutricional não é responsabilidade somente de profissionais da saúde, mas precisa do envolvimento de escolas e das famílias para proporcionar uma mudança sistêmica e sustentável.


Como trabalhamos

A atuação do CREN e o impacto esperado

O projeto atua para ampliar e difundir as ações de educação alimentar e nutricional em ambiente escolar de primeiríssima infância em São Miguel Paulista. O CREN mobiliza educadores infantis, famílias e envolve as próprias crianças na construção e mudança de hábitos alimentares. O projeto iniciou em 2020, e a partir de uma pesquisa de campo, olhando os recursos e realidade de cada unidade educacional, e em agosto de 2021 iniciará o piloto com 6 unidades educacionais, que inclui a formação continuada dos professores de forma híbrida e a validação de instrumento co-criado com os educadores para usarem no dia a dia no processo educativo: um jogo físico, feito de forma customizada para as crianças. Este jogo dá insumos para a autoria do professor e participação da criança no processo, de forma interativa e sensorial. Em 2022, o projeto segue para a fase de expansão para mais 44 unidades educacionais. No total, serão mais de 6000 crianças impactadas em São Miguel Paulista, em uma ação com grande potencial de escala para outros locais.

Para este projeto o Instituto Opy vai compartilhar as competências da Opy Health, com foco na gestão eficiente e na estruturação e melhoria de processos e de operações do CREN.

Concurso de Melhores Projetos Intersetoriais e Multistakeholder para Enfrentamento às doenças crônicas não transmissíveis no Brasil.

Image

O Instituto Opy está apoiando o Fórum DCNTs na realização de um Concurso nacional que receberá inscrição de projetos inovadores que já possuam resultados, mesmo que preliminares, nas áreas de prevenção, promoção, diagnóstico e tratamento de uma ou mais doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs). Os projetos devem ter a participação ativa da comunidade para a qual se destinam em seu desenvolvimento, e que beneficiem populações vulneráveis.

Os 5 melhores projetos serão apresentados no 9° encontro do FórumDCNTs em outubro de 2021, e terão o contato de seus líderes compartilhados com as instituições dos diferentes setores que participarão deste encontro, a fim de facilitar potenciais parcerias. Na ocasião, serão anunciados pela Comissão Avaliadora o primeiro e o segundo lugar entre os 5 projetos, que receberão 10 e 5 mil reais, respectivamente, com o objetivo de impulsionar o ganho de escala desses projetos.

O Instituto Opy é um dos parceiros deste Concurso, junto com a Roche e a Sanofi.

O concurso recebe projetos até o dia 14 de agosto, e o edital pode ser acessado aqui




Impulso Previne

Impulso Previne

ImpulsoGov, uma organização não governamental que trabalha no aprimoramento de coleta e análise de dados em serviços de saúde para impactar positivamente a vida da população.


PARCEIRO

Image

O DESAFIO

O governo federal implantou recentemente um novo modelo de repasse de recursos da atenção primária para os municípios, o Previne Brasil. É um programa de remuneração baseado em indicadores de desempenho, com o objetivo de aumentar o acesso das pessoas aos serviços da Atenção Primária e o vínculo entre população e equipe de saúde da família. Este maior acesso pode ser relacionado a vacinas, exames preventivos, pré-natal, medição de diabetes, aferimento de pressão de hipertensos, entre outros. O repasse de recursos financeiros do Ministério da Saúde para os municípios é realizado com base em metas estipuladas pelo programa Previne, e há o risco de perda de arrecadação em caso do não cumprimento dessas metas. Por isso, é fundamental que os municípios entendam claramente como estão os seus indicadores de saúde na atenção primária para ajustarem seus recursos e programas. No entanto, coletar, analisar e traduzir esses dados das diversas bases de dados de saúde disponíveis não é tarefa simples.


Como trabalhamos

A atuação da Impulso e o impacto esperado

O projeto com a ImpulsoGov tem um recorte pioneiro pois conecta análise de dados diretamente com o financiamento em saúde dos municípios. O projeto irá compilar e traduzir esses dados em uma plataforma acessível, permitindo o monitoramento desses indicadores da atenção básica, de modo que as prefeituras identifiquem os gargalos mais graves e possam priorizá-los. A nova plataforma aberta indicará quais ações o município pode tomar para melhorar a qualidade dos serviços de saúde local, com benefícios para toda a população SUS-dependente. Além disso, o município que conseguir implementar as melhorias ainda observará aumento dos recursos recebidos do governo federal, potencializando ainda mais a qualidade da saúde local. 

O Instituto Opy é o primeiro investidor dessa plataforma de dados, e junto com a Impulso está buscando parceiros para esta iniciativa. A Opy Health, mantenedora do Instituto, também apoiará a Impulso na mentoria de alguns municípios que precisem de apoio adicional para identificar os gargalos e priorização das ações em saúde.